Produtividade: permita-se parar!

homem-em-um-ambiente-confuso
Síndrome do Pânico: o olhar da Gestalt
Mulher-sorridente-vestida-em-uma-jaqueta
3 maneiras de manter o estresse sob controle
Show all

Produtividade: permita-se parar!

mulher-em-um-campo-de-flores
laptop-preto-ao-lado-mouse-preto-computador-dentro-da-sala

Produtividade: para ter é preciso parar.

Ultimamente, tenho me sentido bastante produtivo no dia-a-dia da clínica, mas, ao contrário do que você poderia pensar, esse aumento de produtividade não está acontecendo porque tenho atendido mais pacientes. Pelo contrário, isso está acontecendo porque eu estou atendendo menos.

No início do ano de 2019, me dei permissão para parar e isso fez toda a diferença nos meus atendimentos. É sobre isso que quero falar com você hoje.

Produtividade não é dar 110% de você

Quando escolhi me dedicar exclusivamente a Psicologia, decidi que daria 110% de mim para os meus pacientes. E é claro que lutei pra cumprir essa meta, sempre pensando que poderia e deveria fazer mais

Mas sempre que não estava trabalhando ou estudando, me sentia culpado. Eu pensava não estar fazendo o suficiente… E chegou uma hora que eu quebrei, cansei e não estava sendo o melhor Psicólogo que eu podia ser. Foi nesse momento que eu decidi fazer um retiro de meditação Vipassana, foi nesse momento, mesmo que por somente 10 dias, eu resolvi parar. Parei para olhar pra mim mesmo.

Flexibilidade é a palavra chave da Produtividade

foto-de-uma-caneca-uma-maca-e-um-pao

A ideia de diminuir o ritmo ou mesmo parar por um tempo é particularmente aplicável para pessoas que trabalham por conta própria, profissionais liberais ou autônomos, mas a filosofia de dar um tempo no trabalho ou nos estudos vale pra todo mundo. Sabemos que se deixarmos, sempre existirá um número interminável de tarefas a serem executadas e prazos a serem cumpridos. Contudo, nossa carga de trabalho diária e horários a cumprir precisam ser minimamente flexíveis.

Precisamos aprender que cumprir tudo que nos propomos nem sempre é real e possível. Se a sua meta diária é acordar cedo, tomar um bom café, fazer uma atividade física, ler um bom livro, trabalhar, se divertir, estudar, namorar e ir no terapeuta… esqueça! Você não vai conseguir fazer tudo isso, irá se estressar e a ansiedade vai te pegar. Mais fácil seria parar, respirar fundo e reavaliar sua dinâmica.

Curiosamente, o meu trabalho fico muito mais agradável a partir do momento que aprendi a parar e ter os meus pequenos instantes de autocuidado. Em resumo, são pequenas meditações, leitura curtas de 20 minutos, um pequeno e calmo lanche no meio da tarde. Tudo isso é possível ser feito, independente do seu tipo de atividade profissional.

Sempre haverá trabalho a se fazer 

Esse é o problema. Quando você termina um projeto ou realiza uma tarefa importante, se sentirá cheio de energia e ficará tentado a usar essa força para continuar trabalhando, trabalhando e trabalhando mais um pouco. Mas, em vez de ir direto para a próxima atividade, e acabar se expondo a Síndrome de Burnout, experimente honrar o seu esforço anterior e comemorar sua pequena vitória, permitindo-se parar.

Relaxe, faça algo divertido ou agradável, pare um pouco. Entenda porque você fez o que fez e porque a tarefa realizada ficou do jeito que você desejava. Na próxima hora, no resto do dia ou da semana você terá mais uma centena de atividades a fazer.

Pare porque você merece! 

Cabe a você estabelecer e manter um limite… o seu limite. Trate-se com o mesmo respeito, admiração, bondade e compaixão que você trataria alguém que está trabalhando duro para chegar onde quer que seja. Cabe a você se dar permissão para parar e no final das contas ser mais produtivo.


2 Comments

  1. Heberth Lucena disse:

    Excelente profissional! Muito bem recomendado.

    • Psicólogo Luiz Cezar disse:

      Olá Heberth, obrigado! Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *